Chamada para ação – 10/02/2021

Esmaguemos os fascistas e os seus colaboradores internacionais em toda a parte #RiseUpAgainstFascism

Hoje, na madrugada de 10 de fevereiro, o estado fascista turco iniciou uma nova invasão para ocupar novas partes do sul do Curdistão. Depois de horas de fortes ataques aéreos incessantes e vigilância aérea, o exército de ocupação turco começou a largar forças terrestres desde helicópteros na região de Gare, que faz parte das Zonas de Defesa Medya, controladas pela guerrilha. Era apenas uma questão de tempo e amplamente esperado que uma nova operação deste tipo fosse iniciada nestes dias, mas não era claro até agora se começariam a atacar Şengal diretamente, se tentariam uma nova invasão a Rojava, nomeadamente na região fronteiriça de Dêrik, ou se começariam com a continuação da chamada „Operação Garra de Águia“ que foi levada a cabo no ano passado na região de Heftanîn.

Os últimos meses, especialmente após a vitória parcial da guerrilha em Heftanîn, foram usados pelo estado turco para se preparar para a sua próxima grande manobra. Por um lado, o tratado de Hewlêr-Bagdad contra a Administração Autónoma de Şengal foi implementado e parcialmente concretizado, e por outro lado, o exército privado do KDP de Barzani, as forças Gulan e os Roj-Peşmerga, foram usados para fortificar a fronteira com Rojava e cercar as regiões de guerrilha, instalando postos de controlo e guarnições dentro e ao redor das Zonas de Defesa Medya. Especialmente a região de Gare, que agora é palco de fortes confrontos entre os fascistas e a resistência guerrilheira, foi invadida e cercada pelas forças do KDP. O principal objetivo do Estado turco era provocar uma guerra entre o KDP e os guerrilheiros do PKK, o que teria causado mais divisão e problemas dentro da sociedade curda. Como isto não se sucedeu de acordo com o plano, o estado turco está agora a usar estes avanços terrestres do KDP para ocupar a região por conta própria. Na sua primeira declaração de hoje, as HPG afirmaram que os helicópteros com as forças terrestres que foram lançadas na região não vieram do Norte, mas do Sul, ou seja, provenientes de área controlada pelo KDP.

O ministério da defesa turco anunciou hoje de manhã que iniciou uma nova grande operação fora das suas fronteiras, chamada: „Operação Garra de Águia 2“. O objetivo é óbvio: Avançar pelo sul do Curdistão, instalar uma zona de segurança entre o Sul e o Norte do Curdistão, que também era o seu objetivo no ano passado em Heftanin, e dar um grande golpe contra a guerrilha.

O ataque contra Gare precisa de ser entendido por toda a gente como um ataque contra toda a revolução e uma grande ameaça para todas nós. Não há diferença entre a ocupação de Efrin, a ocupação de Serêkaniyê e Girê Spî, uma nova operação contra Rojava ou Şengal, ou a ocupação da Gare. O ataque às montanhas de Gare é direcionado ao cerne da revolução e da resistência antifascista na região. Por essa razão,

Apelamos a toda a gente para estar ativa e fazer acções imediatas! Vejam o nosso “mapa de alvos“ de alguns dos lugares do fascismo turco, dos seus colaboradores regionais e internacionais, e sejam criativos: Bloquear, Perturbar e Ocupar! Levemos a iniciativa e as ações para as ruas!

Juntas resistimos ao fascismo e à ocupação! Juntas esmagamos o fascismo turco e defendemos a revolução!

Comuna Internacionalista de Rojava,

RiseUp4Rojava-Rede de Coordenação,

10.02.2021