English | Polish | Turkish | French | German | Arabic

Uma convocatória de #Riseup4Rojava, #WomenDefendRojava e #DefendRojava

A guerra de agressão iniciada pelo exército turco e seus aliados jihadistas, em 9 de outubro de 2019 contra a Federação Democrática do Norte e Leste da Síria, trouxe consigo uma fase de solidariedade e resistência global.

As últimas semanas deixaram claro para todos nós que a resistência dos povos do norte da Síria é inseparável da luta global contra o patriarcado, o fascismo e o capitalismo. Ao redor do mundo, milhões de pessoas protestam contra a injustiça social e a exploração capitalista. Os protestos do Chile, Bolívia, Colômbia, Líbano, Iraque, Irã, Tunísia e Catalunha estão unidos pelo apelo por um mundo com justiça social.

Sabemos que, sem desfacelar o fascismo na Turquia, nenhuma conquista democrática das outras regiões do Curdistão, bem como do Oriente Médio, pode ser garantida. Recentemente, o norte e o leste da Síria representavam um oásis de estabilidade no país. Sob a Administração Autônoma Democrática (AAD) do Norte e Síria Oriental, 5 milhões de sírios de várias origens étnicas e religiosas – Curdos, Árabes, Cristãos (Armênios, Assírios, Caldeus e Sírios), Turcumanos, Chechenos, Alevitas e Yazidis – coexistiam pacificamente.

Por um lado, foi e é a resistência dos combatentes das Forças Democráticas da Síria (FDS) e dos/das combatentes de autodefesa do YPG e YPJ que forçaram o estado fascista turco e os poderes internacionais a colocarem limites à agressão turca com os chamados acordos e o cessar-fogo. E por outro lado, foram as centenas de milhares de pessoas em inúmeras cidades do mundo que construíram uma ponte de esperança para Rojava.

Coligação internacional contra Rojava

As políticas internacionais contra Rojava – seja a política de guerra direta da Turquia, o apoio indireto dos EUA, Rússia e a União Europeia ou o desconhecimento por parte de organizações internacionais como a ONU – mostram que se trata de uma coalizão internacional contra a revolução em Rojava, que visa destruir a esperança de um mundo melhor, que foi criado através da nova democracia alternativa no norte e leste da Síria/Rojava, a fim de preservar o status de colônia internacional do Curdistão.

A construção de um sistema em Rojava baseado na democracia radical, na libertação das mulheres e na ecologia é um passo histórico para a revolução no Curdistão e a democratização de todo o Oriente Médio. Esta vitória cativou o mundo e marcou um novo começo para os povos oprimidos da região, que construiram um sistema de autogovernança que deu voz a todas as comunidades da região. A solidariedade internacional com Rojava mostra que a luta pela libertação é internacional e sem fronteiras!

Rompendo com o estado de normalidade

A campanha de extermínio em massa do regime turco fascista continua inabalável. Isso se expressa pelos milhares de presos políticos, pela destruição do patrimônio cultural mundial, da natureza e das cidades curdas; a administração forçada, a abolição de fato do direito ao voto, os ataques e a limpeza étnica, em Rojava. Esses ataques ocorrem com o apoio da comunidade de Estados internacionais. Os povos do norte e o leste da Síria continuam a nos desafiar, com sua resistência, a defender a revolução e torná-la o berço da democracia global.

Por isso, convocamos um dia internacional de ações, em 14 de dezembro de 2019. Vamos assumir nossa raiva juntas contra a guerra de agressão Turca, nas ruas e praças públicas. Vamos romper o estado de normalidade. Enquanto a matança continuar, a resistência deve continuar.

Solidariedade com a resistência das pessoas em todo o mundo! Juntas contra o fascismo e o patriarcado!