Com as nossas raízes no movimento que construiu Rojava, estamos firmes com aqueles que fazem o que Rêber Apo definiria como a „sociedade democrática“, ou a „sociedade moral e política“. Estas são as partes da sociedade que resistem aos ataques racistas, patriarcais e estatais da modernidade capitalista para homogenizar os diferentes povos dentro das nossas comunidades. A solidariedade entre os povos que compõem a sociedade democrática é um dos principais pilares que construíram a revolução de Rojava, tal como a autodefesa. Se a comunidade de alguém, onde se tem as raízes e vida, está sob ataque, a sociedade democrática tem o direito à autodefesa. Isto é comparável ao nosso movimento.

Assim, estamos lado a lado com camaradas como os da Rev Dia e dos Comités de Resistência que estão a defender as suas comunidades contra o massacre do Estado-nação russo e à sua máquina de guerra na Ucrânia. Apoiamo-los na sua luta contra a agressão militar, assim como na sua luta contra os gangues de rua fascistas – ontem e hoje.

Estar lado a lado com a sociedade democrática também significa estar ao lado das pessoas da Rússia que se erguem contra a guerra imperialista, que protestam face à repressão massiva do Estado russo. Especialmente em tempos de de propaganda de guerra, tanto na Rússia como nos Estados ocidentais, é o nosso dever apoiar o povo que luta pela solidariedade da sociedade democrática em todo o lado.

A nossa tarefa é erguermo-nos contra as potências imperialistas que fazem guerra e insistir no direito de autodefesa da sociedade moral e política na Ucrânia, assim como em todo o lado!​​​​​​​

Estamos lado a lado com a sociedade democrática. Não estamos ao lado do Estado-nação.

O Estado-nação tem a sua própria lógica que não é a mesma dos povos. Lembramos como o Estado-nação ucraniano salvou o programa de drones turcos quando o mundo parou as exportações de partes essenciais em 2019. Sabemos que a cooperação turco-ucraniana „Escudo Mar Negro“ voltou a abastecer motores para os drones TB2 que até hoje é capaz de matar em massa os nossos camaradas, políticos e civis no Curdistão. Estes tipos de „cooperação“, tal como as ferramentas imperialistas usadas pela NATO ou pelo CSTO, são colocadas em detrimento da sociedade democrática globalmente. Está nos alicerces dos Estados-nação, que forman a base da modernidade capitalista.

Esta posição, de não estar ao lado do Estado-nação mas ao lado dos povos da sociedade democrática independentemente das fronteiras – seja na Ucrânia, Rússia, Curdistão, ou Chiapas – necessita de preceder a nossa análise deste e de outros conflitos. Mostra-nos um caminho rumo a um futuro sem massacres em nome dos países capitalistas – em vez disso em nome da paz, da liberdade e da solidariedade. Liga as nossas lutas numa luta comum contra a modernidade capitalista e contra os jogos de poder das forças imperialistas.

Neste assunto partilhamos muitas das visões avançadas pelos nossos amigos do movimento zapatista. Por favor leiam-no para uma compreensão mais profunda deste tipo de análise: https://www.anarchistfederation.net/there-will-be-no-landscape-after-the-battle-on-the-invasion-of-the-russian-army-into-ukraine/

Para apoiar diretamente os nossos companheiros que resistem na Ucrânia podes usar o Paypal:

RevDia – [email protected]

O Comité de Restência – https://www.paypal.com/donate/?hosted_button_id=Q2K9RMBVVJMN4

Berxwedan Jiyane! Resistência é vida!

Coordenação do RiseUp4Rojava

14.03.2022